stop_motion_tunde_nubas
Journal

Jovens aprendem animação em stop motion no Terreiro Ilê Axé Omo Omin Tundê

A última oficina desta etapa do projeto acontece no próximo sábado, dia 18

stop_motion_nubas_tundeO cuidado e dedicação de Oxum se refletem nas filhas de santo do Terreiro Ilê Axé Omo Omin Tundê, regido pela orixá e localizado no bairro de Plataforma/Parque São Bartolomeu. As jovens aprenderam no último sábado, dia 10, durante a Òrun Àiyé: Oficina de Animação em Stop Motion, ministrada pelas cineastas Jamile Coelho e Cintia Maria, a fazer animação através da técnica de recorte, que utiliza papel para compor o curta.

Maiara Almeida, participante da oficina, definiu a experiência de contar uma história através da animação como um “universo fabuloso”. “Foi uma experiência muito boa. Primeiro pelo caráter da oficina ser de stop motion para aprendermos sobre cinema e audiovisual. Além disso, participar dessa oficina dentro do terreiro, que é um local que tenho proximidade desde a infância e que respeito muito, e ter brincado de fazer animação com filhas de santo foi um processo muito bacana, até mesmo por sair da ótica da sala de aula, fugir do convencional, fazendo com que possamos aprender de um jeito bem gostoso”, relatou.

Desta vez, a oficina contou com uma dinâmica em que as participantes escolheram o melhor curta. A vencedora foi à produção que mostrava Luiz Gonzaga dançando e tocando sua tradicional sanfona, suas diretoras receberam uma caneca personalizada do filme “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo, exibido no fim da oficina. A iniciativa faz parte da programação do Núcleo Baiano de Animação em Stop Motion (NUBAS) através do edital Arte em Toda Parte III Edição.

assistindo_orun_ayieSegundo Jamile Coelho, perceber o envolvimento e interesse de todos que estavam presentes, inclusive que não estavam participando da oficina, é gratificante. “Tivemos a oportunidade de contar sobre o processo de animação e começaram a surgir questionamento sobre o funcionamento da técnica, o cuidado e a demora para finalização. Foi um resultado muito bacana! ”, disse.

Mostrando também a possibilidade de utilizar o celular como ferramenta para produzir animação, as cineastas foram convidadas a voltar no terreiro com uma carga horária maior para que sejam realizadas mais aulas. A última oficina dessa etapa será no próximo sábado, dia 18, no Hunkpame Savalu Vodun Zo Kwe, no bairro do Curuzu.