NUBAS

Category: Journal

Category: Journal

CAPA FACEBOOK
Latest trends Sem categoria

Muncab abre inscrições para cursos de férias da Diversão de Verão

O Espaço Boca de Brasa Muncab, no Centro Histórico de Salvador, abre as inscrições para os cursos das férias de verão a partir desta segunda-feira (23). Serão oferecidas atividades como oficinas, workshops, palestras e exibição de filmes. Os cursos acontecem entre os dias 11 de janeiro à 8 de fevereiro, sempre aos sábados e domingos, no Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira.

“As atividades formativas e apresentações artísticas representam um importante veículo de dinamização do Muncab. A partir do Boca de Brasa consolidamos o museu como espaço vivo e dinâmico.”, explica José Carlos Capinan, presidente do Muncab.

A programação oferece a população uma série de atividades formativas como interpretação, animação, linguagem cinematográfica, exibição de filmes e debates. Entre os responsáveis pelas atividades, estão Everlane Moraes, Valdineia Soriano, Jamile Coelho, Cintia Maria. Essa é uma ação da Sociedade Amigos da Cultura Afro-Brasileira e do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion e, foi contemplado pelo edital Espaço Cultural Boca de Brasa, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador. Para acessar todos os detalhes de inscrições, acesse a página do Muncab (www.museuafrobrasileiro.com.br) ou Nubas (www.nubas.com.br).

A partir de janeiro damos início as nossas atividades de verão, onde teremos workshops com expoentes do Cinema Negro como Valdinéia Soriano e Everlane Moraes, ao lado de Cintia Maria, traremos uma oficina apresentada recentemente na Universidade de Brasília de animação stop motion utilizando o celular, a atividade visa principalmente democratizar a s produções animadas a partir de dispositivos acessíveis. ”, explica a coordenadora pedagógica do Boca de Brasa, Jamile Coelho.

Boca de Brasa
Desde 2013, a Fundação Gregório de Mattos desenvolve ações que visam a promoção e produção cultural pelos diversos pontos da cidade, no intuito de descentralizar as atividades em Salvador. Criado em 1986, o projeto Boca de Brasa visa fomentar a cultura na periferia, com foco na promoção da cidadania, por meio do incentivo às manifestações artísticas dos bairros da capital baiana. Em 2013, a ação recebeu um novo formato, que contempla oficinas gratuitas de diferentes áreas artísticas, bem como formação de gestores. Até 2016, foram realizadas 21 edições, com público total de 42 mil pessoas, 120 oficinas realizadas e 2.300 agentes culturais atendidos em 20 bairros. Em 2017, a FGM lança o edital Espaços Culturais Boca de Brasa, concedendo aporte financeiro a três propostas voltadas ao aprimoramento, dinamização e/ou ampliação das atividades artístico-culturais desenvolvidas em espaços culturais já existentes. Em 2018, esses espaços funcionaram com atividades financiadas pelo edital, sendo considerados Espaços Culturais Boca de Brasa. Em 2019, em sua segunda edição, o edital premia mais quatro espaços da cidade que recebem aporte financeiro onde eles passam a ser identificados, até o mês de outubro 2020, como Espaços Culturais Boca de Brasa.

Programação da Diversão de Verão:

Oficina Paper Cut Out com Celular com Jamile Coelho e Cintia Maria
A Oficina Paper Cut Out com Celular é composta por um conjunto de ações que estimulam a experimentação e produção cinematográfica através da técnica de animação em stop motion cut-out usando o papel com matéria prima – proporcionando a jovens e adultos uma visão geral sobre a linguagem, mediante aulas práticas explicando os princípios básicos da animação.

Serviço
O quê: Oficina Paper Cut Out com Celular
Quem: Diretoras e animadoras Jamile Coelho e Cintia Maria
Onde: Espaço Nubas no Boca de Brasa Muncab
Quando: 11 e 12 de janeiro – das 8h30 às 18h
Carga horária: 16h
Público: a partir de 16 anos.
Quanto: R$ 30,00

Workshop Linguagem Cinematográfica com Everlane Moraes
O workshop “O Cinema e o Espelho: experiências, olhares e registros” passeia pela história da evolução técnica e de linguagem do Cinema – e mais especificamente o gênero documentário – a partir de sua associação com outras áreas do conhecimento humano: História, Filosofia, Política, Antropologia, Sociologia e Ciência. Também com outras linguagens artísticas como a Pintura e a Literatura, entre outras mais. Faremos exercícios teóricos e práticos de análise iconográfica e iconológica de imagens: pinturas, fotografias, imagens da televisão e do cinema brasileiro, etc. Além de conversa sobre a concepção e realização dos seus filmes: a busca de temas e personagens. As escolhas tecnológicas (câmera e lente). As composições (cores e formas). A edição (sentidos). O som, etc. A diretora fala sobre as decisões teóricas e práticas que o documentarista se enfrenta no momento de filmar. Além disso, durante o workshop a diretora Everlane Moraes exibirá oito (08) curtas-metragens, seguidos de comentários sobre cada filme e um bate-papo com o público através de perguntas e resposta.

Serviço
O quê: Workshop “O Cinema e o Espelho: experiências, olhares e registros”
Quem: Diretora Everlane Moraes
Onde: Espaço Nubas no Boca de Brasa Muncab
Quando: 18 e 19 de janeiro, das 8h30 às 18h
Carga horária: 16h
Público: a partir de 16 anos.
Quanto: R$ 30,00

Workshop de preparação de atores com Valdineia Soriano
O workshop apresenta as ferramentas básicas de formação e capacitação de atores para atuação em projetos cinematográficos e teatrais. A partir da experiência de Valdinéia Soriano, atriz do Bando de Teatro, melhor atriz do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro de 2017 pelo trabalho em “Café com Canela”. Sendo assim, a vivência busca fornecer aos atores e atrizes elementos de interpretação para cinema e construção de personagens para atuação em narrativas fílmicas.

Serviço
O quê: Workshop de preparação de atores
Quem: Atriz e preparadora de elenco Valdineia Soriano
Onde: Espaço Multiuso no Boca de Brasa Muncab
Quando: 25 e 26 de janeiro – das 8h30 às 18h
Carga horária: 16h
Público: a partir de 16 anos.
Quanto: R$ 30,00

Cineclube Boca de Brasa – Antônio Pitanga
Lançamento do Cineclube Boca de Brasa – Antônio Pitanga tem a proposta de apresentar aos moradores e aos visitantes da do Centro Histórico de Salvador, filmes documentários, ficção e animação que debatam questões raciais. Para isso, a curadoria irá privilegiar obras dirigidas por cineastas negros e cujas temáticas estejam relacionadas também às questões raciais. A curadoria do cineclube ficará a cargo de Jamile Coelho, Cintia Maria, Bruna Castro e Lecco França. Na primeira edição o cineclube terá como temática o universo feminino no cinema negro. Haverá debate após a sessão, com mediação do professor especialista em cinema africano e afro brasileiro, Lecco França e cineastas convidadas.

Serviço
O quê: Abertura do Cineclube Antônio Pitanga – Boca de Brasa
Onde: Espaço Nubas no Boca de Brasa Muncab
Quando: 1º de fevereiro, às 15
Quanto: Gratuito

Diálogos Negros Boca de Brasa
É um espaço de produção de conhecimento coletivo a partir das narrativas apresentadas por artistas, técnicos, intelectuais, agentes culturais, produtores e pesquisadores, o evento visa o compartilhamento de experiências, fortalecimento identitário, diversidade, intercâmbio, articulação, reflexão e cooperação entre diferentes áreas da cultura. A ideia é que esse encontros possam unir história, memória, cultura e contemporaneidade afro brasileira e se, possível afro atlântica e africana.

Serviço
O quê: Diálogos Negros Boca de Brasa
Quem: Convidadas (a confirmar).
Quando: 08 de fevereiro, às 15h
Onde: Espaço Nubas no Boca de Brasa Muncab
Quanto: Gratuito

EVENTO_LANCAMENTO_APP
Latest trends Sem categoria

Museu Afro usa realidade aumentada para expandir experiência do público

O app Muncab é gratuito e une tradição e tecnologia através da realidade aumentada (AR) 

O aplicativo permitirá, por meio da câmera de smartphones ou tablets, que visitantes visualizem as obras de Mestre Didi, Aguinaldo Silva e Antônio Miranda de forma  tridimensionais, bem como, a acessibilidade para deficientes visuais. O app se baseia no uso da realidade aumentada, tecnologia que fornece uma experiência interativa com o mundo real por meio da ajuda de imagens geradas por computadores e adiciona camadas de informação para o público. O lançamento do app será nesta terça-feira (17), às 16h, com a participação da cantora nigeriana Okwei Odili, no Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira (Muncab).

“O Muncab inova com a realidade aumentada e torna o museu mais acessível com recursos de audiodescrição para deficientes visuais e proporciona uma maior interação do público com as obras. Pensamos no aplicativo como um Sankofa, aprendemos com passado para construir o presente e o futuro. Dessa forma homenageamos artistas fundamentais para a cultura afro-brasileira como Mestre Didi e Agnaldo dos Santos.”, afirma o diretor do museu José Carlos Capinan.

A realidade aumentada faz o usuário da tecnologia ver determinada imagem de diversos ângulos através da tela e ter informações adicionais. A imagem de uma escultura, por exemplo, pode ser vista em 360 graus se o usuário der uma volta sobre si mesmo com o smartphone ou tablet. Desenvolvido pela Estandarte Produções essa é a versão piloto do app e ainda está em fase de testes. O app é gratuito e está disponível para iOS e Android.

“Na Estandarte estamos sempre trabalhando em inovação de linguagem e de tecnologia. Fazemos parte do movimento afrofuturista e temos lançado vários produtos como esses. Essa é versão beta do app, queremos expandir ainda mais a experiência do público com a reconstrução de obras e cenários inteiros em 3D”, explica Jamile Coelho.

O app é o resultado do Quilombo Tech, um projeto idealizado por Cintia Maria e Jamile Coelho, realizado pelo Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira e Sociedade Amigos das Cultura Afro-brasileira, desenvolvido pela Estandarte Produções com consultoria da Acessu – Acessibilidade Universal, através do edital da Década do Afrodescente 2019 da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi).

 

Serviço

O quê: Lançamento do app Muncab
Quando: 17 de dezembro, às 16h
Onde: Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira, na Rua das Vassouras, s/n, Centro
Quanto: Gratuito

Maiores informações: Assessoria de Imprensa – Cintia Maria  (71) 99276-8484 e/ou Jamile Coelho (71) 99291-8058

Latest trends Sem categoria

Aplicativo para aumentar interação em museu é criado na Bahia

O acervo do Museu Nacional de Cultura Afro-Brasileira (Muncab), no Centro Histórico, está prestes a incrementar, junto ao seu acervo, uma tecnologia que aumentará a interatividade do público com as peças e as histórias contadas. Está em desenvolvimento um projeto chamado Quilombo Tech, que dará origem, a partir de novembro, a um aplicativo que será usado na exposição permanente do museu.

Pela primeira vez na Bahia, o público poderá usar seus smartphones ou tablets para interagir com as peças e ver informações complementares ao acervo na tela do aparelho, através de uma tecnologia chamada realidade aumentada (AR).

A realidade aumentada faz o usuário da tecnologia ver determinada imagem de diversos ângulos através da tela e ter informações adicionais. A imagem de uma casa, por exemplo, pode ser vista em 360 graus se o usuário der uma volta sobre si mesmo com o smartphone ou tablet. Assim como podem ser vistos o chão e o céu, se a tela do aparelho estiver posicionada para baixo ou para cima, respectivamente.

O projeto Quilombo Tech é uma ideia vencedora do edital da década do Afrodescente, da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi). Sua realização foi possível graças a uma parceria entre o Muncab, Sociedade Amigos da Cultura Afro-Brasileira (Amafro), a produtora Estandarte e Nubas (Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion). Em etapa de desenvolvimento de projeto desde o início de julho, a partir de outubro a iniciativa passará para a etapa de desenvolvimento da versão pocket do aplicativo.

DESTAQUE - 02
Journal

Técnicas e novas ferramentas para filmes de animação em curso do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion

GUTO_BRExercícios práticos com as técnicas do cinema de animação e todo conhecimento necessário para domínio da ferramenta Thumbnail. Esta é a proposta do curso Storyboard, pensando com thumbnail, que ocorrerá nos dias 10, 11 e 12 de setembro, às 14hs, e será ministrado por Guto BR, ganhador dos prêmios de Melhor Animação Brasileira e Melhor Animação Documental pelo curta-metragem “Sangro”, no festival Anima Mundi. A oficina é realizada pelo Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion e vai acontecer no Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab).
Guto BR é formado em Design de Animação e já trabalhou como supervisor de storyboard em diversas séries de TV e no longa, ainda em produção, “Viajantes do Bosque Encantado”, de Alê Abreu. Guto BR, que já teve dois filmes selecionados para o Festiva de Annecy, na França, é atualmente o presidente da Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA). Para quem pensa em produzir o seu próprio filme de animação, esta é uma oportunidade de aprender com profissionais reconhecidos no mercado brasileiro e internacional.
Segundo Guto, o Thumbnail é o primeiro passo e a síntese de tudo que virá a seguir no storyboard e no filme. Com ele, é possível visualizar de forma rápida a história na escala macro e mensurar com precisão o trabalho pela frente. Fazê-lo com eficiência garante não só um melhor resultado final como também um melhor andamento para o trabalho do próprio artista de board, antecipando a conversa com diretor e possíveis alterações de narrativa, ritmo, enquadramento e até ações específicas.
O curso faz parte da primeira etapa do projeto Labcine, que tem por objetivo democratizar o acesso à formação profissional em diversas áreas do setor audiovisual na Bahia. A iniciativa, pensada como uma nova possibilidade para transmitir e aprofundar conhecimentos, vai desenvolver pesquisas e produzir conteúdo audiovisual na Bahia. O Labcine marca o lançamento do NUBAS, que é o primeiro estúdio-escola de animação da Bahia e, ao longo de 12 meses, será um espaço de debate, reflexão e de intercâmbio entre artistas, agentes culturais e público em geral. O objetivo é formar profissionais capacitados fora do eixo Rio/São Paulo, descentralizando o conhecimento e fortalecendo as políticas públicas em favor do cinema de animação, tecnologias imersivas e games.
As inscrições para o curso podem ser feitas através do site do NUBAS na internet, no endereço www.nubas.com.br. O projeto é uma realização do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, por intermédio da Finep e Sebrae/Ba. A iniciativa conta ainda com apoio institucional da Estandarte Produções e do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab).

CAPA_CURSO_DIRECAO_ARTE (1)
Journal

Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion traz diretora premiada para ministrar curso de cinema na Bahia

Um mergulho no universo visual do cinema e nas técnicas que envolvem o trabalho de um diretor de arte é o objetivo do curso promovido, neste mês de setembro, pelo Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion (NUBAS). A oficina Direção de Arte Cinematográfica, realizada nos próximos dias 4, 5 e 6, às 14hs, no Espaço Nubas do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab), será ministrada por Vera Hamburger. Graduada em Arquitetura e com mestrado em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (USP), Vera foi a responsável pela direção de arte de filmes como “Carandiru”, do diretor Héctor Babenco, além de programas televisivos e o episódio da série Black Mirror, gravado no Brasil. 

Vera Hamburguer atua, desde 1985, nas áreas da direção de arte e cenografia para teatro, dança, ópera, cinema e exposições. Como diretora de arte e cenógrafa também já trabalhou ao lado de cineastas consagrados, a exemplo de Walter Lima Jr., Cacá Diegues, Sérgio Rezende, Cao Hamburger, Tata Amaral, Eliane Caffé e Philipe Barcinski. É autora do livro “Arte em Cena, a Direção de Arte no Cinema Brasileiro”, Editora Senac e SESC, 2014, cujo trabalho rendeu o Prêmio Jabuti 2015. O curso faz parte da primeira etapa do projeto Labcine, cujo objetivo é democratizar o acesso à formação profissional em diversas áreas do setor audiovisual na Bahia. 

A iniciativa, pensada como uma nova possibilidade para transmitir e aprofundar conhecimentos, vai desenvolver pesquisas e produzir conteúdo audiovisual na Bahia. O Labcine marca o lançamento do NUBAS, que é o primeiro estúdio-escola de animação da Bahia e será um espaço de debate, reflexão e de intercâmbio entre artistas, agentes culturais e público em geral. O objetivo é formar profissionais capacitados fora do eixo Rio/São Paulo, descentralizando o conhecimento e fortalecendo as políticas públicas em favor do cinema de animação, tecnologias imersivas e games.

As inscrições dos cursos podem ser feitas através do site do NUBAS na internet, no endereço www.nubas.com.br. Esse projeto é uma realização do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion e Estandarte Produções com correalização do Sebrae/Ba. Com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – FAPESB vinculada a Secretaria de Tecnologia e Inovação e Governo da Bahia – , através do Edital 008/2016 – SUBVENÇÃO ECONÔMICA/PAPPE INTEGRAÇÃO, lançado em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, por intermédio da Finep. E apoio institucional do Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira  – Muncab.

Journal

Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion promove cursos para fortalecer audiovisual na Bahia

Para democratizar o acesso à formação profissional em diversas áreas do setor audiovisual, o Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion (NUBAS) inicia, no próximo mês, dia 4, a primeira etapa do projeto Labcine. A iniciativa, pensada como uma nova possibilidade para transmitir e aprofundar conhecimentos, vai desenvolver pesquisas e ampliar a produção audiovisual na Bahia. O Labcine marca o lançamento do NUBAS, que é o primeiro estúdio-escola de animação da Bahia e será um espaço de debate, reflexão e de intercâmbio entre artistas, agentes culturais e público em geral.

Nesta primeira fase, o projeto vai oferecer cinco cursos: Direção de Arte Cinematográfica, Storyboard, pensando com thumbnail, Construção de Puppets para Stop Motion, Produção Executiva Pensada Fora da Caixa, Animação em Stop Motion coordenados por professores de larga experiência na produção audiovisual e cineastas reconhecidos no mercado brasileiro e internacional. O objetivo é formar profissionais capacitados fora do eixo Rio/São Paulo, descentralizando o conhecimento e fortalecendo as políticas públicas em favor do cinema de animação, tecnologias imersivas e games.

As inscrições dos cursos podem ser feitas através do site do NUBAS na internet, no endereço www.nubas.com.br. Esse projeto é uma realização do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion e Estandarte Produções com co-realização do Sebrae/Ba. Com o apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – FAPESB vinculada a Secretaria de Tecnologia e Inovação e Governo da Bahia – , através do Edital 008/2016 – SUBVENÇÃO ECONÔMICA/PAPPE INTEGRAÇÃO, lançado em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações – MCTIC, por intermédio da Finep. E apoio institucional do Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira  – Muncab.

 

 

 

 

Journal Portfolio

Sessão especial do cinema negro no Cineclube Fruto do Mato

Conversar sobre as questões de gênero, raça, intolerância religiosa e tradição oral é o objetivo da próxima sessão do Cineclube Fruto do Mato, que será realizada nesta terça-feira, 11, no Teatro de Arena, centro da cidade de Lençóis, na Chapada Diamantina. Serão exibidos dois filmes de curta-metragem: “ÒRUN ÀIYÉ”, um stop-motion que trata do mito da criação a partir do universo dos orixás, das diretoras baianas Jamile Coelho e Cintia Maria, e “Cinzas”, da também baiana e cineasta Larissa Fulana de Tal.

A animação, que traz para as telas a mitologia iorubá, apresenta o personagem do vovô Bira, que narra para a neta Luna como os deuses africanos Olodumaré, Orunmilá, Oduduwa, Oxalá, Nanã e Exú interagem para criar a Terra e os seres humanos. Já o curta-metragem “Cinzas”, lançado em 2012, conta a história de um jovem negro de Salvador que vê as 24 horas de um dia insuficientes para cumprir todas as obrigações de quem mora na periferia e precisa trabalhar, pagar a faculdade e cuidar da casa.

Além da exibição dois filmes, a sessão vai contar ainda com a presença das diretoras Jamile Coelho e Cintia Maria, de “ÒRUN ÀIYÉ”, que também vão ministrar uma oficina de stop-motion para as jovens cineclubistas que fazem parte do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô. A técnica de animação consiste em “emendar” uma série de fotografias para dar movimento aos objetos e personagens. São cerca de 25 frames por segundo.

Desde fevereiro deste ano, a população de Lençóis e os turistas que visitam a região têm a oportunidade de conhecer obras de cineastas consagrados do cinema baiano, como Glauber Rocha e Roberto Pires, e também dos novos diretores que fazem parte do cinema contemporâneo da Bahia.

O cineclube é uma realização da Cinepoètyka e Grãos de Luz e Griô, através do Edital Setorial de Audiovisual 2016, com apoio financeiro da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundo de Cultura e Secretaria de Cultura da Bahia. A iniciativa tem ainda o apoio da Diretoria de Audiovisual do Estado da Bahia (DIMAS).

18835798_876310642523054_8021351705551708912_n
Journal

NUBAS realiza exibição de filme e bate-papo com crianças em Santo Amaro

As oficineiras Jamile Coelho e Cintia Maria exibiram o filme “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo” em Santo Amaro no último sábado (03), para uma galerinha curiosa e para lá de especial. Após a sessão, foi realizado um bate-papo com a garotada, explicando as etapas que envolvem o processo de animação.

A atividade, realizada pelo Centro de Cultura, Linguagens e Tecnologias (CECULT) da UFRB, contou também com o lançamento da Coleção Victor viaja, da escritora Iara Sydenstricker, que narra as aventuras de Victor, um menino apaixonado por sua cidade e determinado a descobrir espaços e ampliar seus limites de vida.

O Pai Toinho e Pai Ró de Odé também marcaram presença no evento, além do projeto Arremesso Para a Vida e da Associação Cultural Sementes de Santo Amaro. A assistente social Gildete Santos levou as crianças atendidas pelo Arremesso Para a Vida desenvolvido pelo Instituto Hand Social, e aprovou a realização da atividade. “A manhã foi perfeita! O filme é muito legal, traz a nossa ancestralidade. Eu trouxe, além dos meninos do projeto, as minhas sobrinhas, que precisam conhecer a sua ancestralidade, que não é passada nas escolas. É uma grande oportunidade”, comemorou.

CARD SEMANA DOS MUSEUS
Journal

Alunos do Colégio Estadual Manoel Novaes assistem filme “Òrun Àiyé” durante a 15ª Semana Nacional de Museus

Os alunos do Colégio Estadual Manoel Novaes terão a oportunidade de assistir ao filme baiano “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo”, que narra a saga de Oxalá em sua grande missão, no Museu Geológico da Bahia (MGB). Seguida de bate-papo com as diretoras, a exibição especial para os estudantes acontecerá na próxima terça-feira (16), às 14h, integrando a programação oficial da 15ª Semana Nacional de Museus.

Premiada nacional e internacionalmente, a animação conta a história da criação da Terra e dos seres humanos a partir da cultura iorubá, constituindo uma importante ferramenta extracurricular em apoio à Lei 10.639, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e inclui no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira. “Esse material paradidático permitirá às crianças e jovens a ampliação da noção de cultura negra trazida da África para o Brasil, proporcionando uma educação que reconheça e valorize a diversidade, comprometida com as origens do povo brasileiro”, conta Jamile Coelho, que assina a direção do filme ao lado da cineasta Cintia Maria.

Produzida em stop motion, a animação de 12 minutos levou 445 dias para ser finalizada e contou com uma equipe de 45 profissionais. No total, foram necessárias 25 mil fotografias para dar vida aos personagens que protagonizam esta envolvente história e trazem um pouco da rica cultura iorubá com toda a ludicidade da sétima arte. O elenco tem como dubladores Carlinhos Brown (Oxalá), João Miguel (Olodumaré), Jorge Washington (Orunmilá), Fábio Santana (Oduduwa), Fernanda Crescencio (Luna), e Carlos Betão, que dá voz ao Vovô Bira, personagem que homenageia o professor e historiador baiano Ubiratan Castro de Araújo.

Sobre o filme

Produzido pela Estandarte Produções, o curta “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo” traz a trajetória de Oxalá para cumprir sua missão junto a outras divindades, em uma envolvente narração de 12 minutos, carregada de simbolismos da cultura afro-brasileira. A animação é inclusiva e, por meio de recursos como audiodescrição, subtitulação e janela de Libras, está disponível também para o público surdo e cego, além de ter legendas em português, inglês, francês, espanhol, yorubá.

img_20161125_105742984
Journal

Estudantes do SENAI participam de bate papo e exibição do filme “Òrun Àiyé”

img_20161125_105742984
Estudantes participam de bate papo (foto: Juliana Neri)

Os estudantes do SENAI, unidade Dendezeiros, participaram da exibição do filme “Òrun Àiyé: a Criação do Mundo”, seguida de bate papo com a cineasta Cintia Maria. A atividade foi realizada na manhã da última sexta-feira (25) e faz parte das ações realizadas pelo Núcleo de Documentação e Informação da instituição em comemoração ao Dia da Consciência Negra.

Após a exibição do filme, Cintia falou um pouco sobre o processo de produção da animação, que é uma ferramenta importante para o conhecimento sobre a religiosidade afro-brasileira, facilitando as discussões sobre racismo e intolerância religiosa. “Nós realizamos uma série de atividades educacionais e culturais ao longo de 2016 e chamamos a diretora Cintia Maria como forma de marcar o Novembro Negro, fomentando um debate sobre liberdade religiosa, que foi o tema da redação do Enem esse ano”, explicou a assistente de biblioteca Juliana Neri.

Os alunos participaram com perguntas e ainda compartilharam experiências pessoais sobre religião e identidade racial. Para Juliana, o maior objetivo da atividade, que envolveu alunos que estão saindo da adolescência e entrando na fase adulta, foi atingido. “É importante promover esse tipo de reflexão para além dos conteúdos didáticos que eles aprendem nos cursos técnicos. Nosso objetivo é estimular uma reflexão social e cultural nos alunos”, contou.