O Espaço Cultural Boca de Brasa Muncab, convidam a formar um banco de dados, artistas negros e negras residentes em Salvador, de todas as idades, de diversas áreas como grupos musicais, teatrais, atores, cantores, dançarinos, produtores, cineastas, entre outros.

O objetivo é facilitar a comunicação entre artistas, produtores e envolvidos com a cultura local, bem como a criação de um portfólio online. 

A plataforma colaborativa PretART (www.pretarte.com.br), idealizada pelas cineastas e produtoras culturais, Cintia Maria e Jamile Coelho, surge não somente como mapeamento e catalogação dos trabalhos desses artistas, mas também, como um importante registro sobre a História e a Memória da participação fundamental desses profissionais na construção da arte e cultura local. O principal objetivo é dar visibilidade às produções contemporâneas de artistas negros e, também, criar um instrumento de divulgação, de registro histórico e de memória em Salvador. 

Acesse o formulário, baixe o termo de autorização e envie com duas fotos de divulgação em alta resolução. 

Para o cadastramento é necessário:

  1. Responder ao formulário de cadastramento (clique aqui)
  2. Enviar o Termo de Autorização de Uso de Imagem e Personalidade (fazer o download do termo e anexar o termo no Formulário) (clique aqui)

As inscrições para participar da primeira chamada da plataforma PretArte vão até 31 de março e o lançamento da plataforma será em abril. 

IMPORTANTE: Só publicaremos as informações das pessoas que encaminharem o Termo de Autorização de Uso de Imagem e Personalidade.

Essa é uma ação de Mobilização e Catalogação do Palco Aberto Boca de Brasa do Museu Nacional da Cultura Afro-brasileira e do Núcleo Baiano de Animação e Stop Motion e, foi contemplado pelo edital Espaço Cultural Boca de Brasa, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador. Para acessar todos os detalhes de inscrições, acesse a página do Nubas (www.nubas.com.br/pretarte).

Boca de Brasa

Desde 2013, a Fundação Gregório de Mattos desenvolve ações que visam a promoção e produção cultural pelos diversos pontos da cidade, no intuito de descentralizar as atividades em Salvador. Criado em 1986, o projeto Boca de Brasa visa fomentar a cultura na periferia, com foco na promoção da cidadania, por meio do incentivo às manifestações artísticas dos bairros da capital baiana. Em 2013, a ação recebeu um novo formato, que contempla oficinas gratuitas de diferentes áreas artísticas, bem como formação de gestores. Até 2016, foram realizadas 21 edições, com público total de 42 mil pessoas, 120 oficinas realizadas e 2.300 agentes culturais atendidos em 20 bairros. Em 2017, a FGM lança o edital Espaços Culturais Boca de Brasa, concedendo aporte financeiro a três propostas voltadas ao aprimoramento, dinamização e/ou ampliação das atividades artístico-culturais desenvolvidas em espaços culturais já existentes. Em 2018, esses espaços funcionaram com atividades financiadas pelo edital, sendo considerados Espaços Culturais Boca de Brasa. Em 2019, em sua segunda edição, o edital premia mais quatro espaços da cidade que recebem aporte financeiro onde eles passam a ser identificados, até o mês de outubro 2020, como Espaços Culturais Boca de Brasa.